CEM ANOS DE BRASIL

cem_anos_brasil

Lançando hoje, um olhar de consagradas ao passado, vislumbramos corações ternos e corajosos e, como legado palpável, jovens disponíveis para a expansão do Reino.
Ponhamo-nos no lugar das quatro primeiras Irmãs Belgas e sintamo-nos envolvidas pela presença de Deus em suas vidas: deixaram a pátria, a Europa longínqua, pensando não mais voltar; aceitaram o envio com alegria e encantamento, dons que não se desfizeram ante a realidade...
Realizando o ideal dos fundadores, as Irmãs do Sagrado Coração de Maria mantêm o espírito que as animou: “Fazer tudo para a maior honra e glória da Trindade”. E, uma expressão que marcou sua itinerância pela terra: “Educar evangelizando e evangelizar educando”.

Foi assim que tudo começou...

 

 

 



Em l907, o Cônego Francisco Moureau – Padre Chico da Ordem Premonstratense, da Abadia de Park, Louvânia e missionário no Brasil, foi a Berlaar – Bélgica - Casa Mãe das Irmãs do Sagrado Coração de Maria e pediu à Madre Geral Irmã Benedita, que enviasse Irmãs para trabalhar na Santa Casa de Misericórdia de Montes Claros/MG. Depois de alguma resistência, o Cardeal Mercier de Malinas deu consentimento e abençoou as quatro Irmãs escolhidas para o início da missão no Brasil. Foram elas:

  • Irmã Odília,
  • Irmã Otávia,
  • Irmã Remígia,
  • Irmã Blandina.

 

cem_anos

No dia 24 de abril do mesmo ano, a bordo do navio “Novo Dultscher Loyde” partiram do Porto de Antuérpia o Cônego Moureau, Cônego Vincart, alguns Padres Redentoristas holandeses e as Irmãs.

Durante a viagem, as Irmãs receberam, com alegria, as fotos tiradas na despedida, com a mensagem carinhosa de Irmã Ângela (a nova Madre Geral): “Filhinhas, amai-vos umas às outras, consolai-vos mutuamente, suportai os defeitos das outras, e assim cumprireis a lei de Cristo”.

 

 

 

 


No dia 13 de maio de 1907, desembarcaram no Rio de Janeiro, de onde seguiram de trem para Corinto - MG. Lá ficaram por 05 (cinco) dias, aguardando a chegada dos cavalos e burros que as conduziriam até Montes Claros.

Enfrentaram muitas dificuldades: calor intenso, sede, alimentação desconhecida, picada de insetos etc. Por duas noites dormiram em barraca, em plena mata, num colchão de palha para as quatro, tendo como travesseiros as malas... Irmã Blandina estava com uma febre de 40º, mas ainda assim a confiança na Providência Divina nunca lhe faltou.

Irmãs a Cavalo rumo a Montes Claros.

Em Bocaiúva, o povo preparara uma grande festa para receber seu novo vigário, Cônego Chico e sua comitiva. Lá, as Irmãs permaneceram por dois dias, onde puderam descansar um pouco. Mais dois dias a cavalo, e finalmente chegaram a Montes Claros, no dia 14 de junho de 1907. Foram recebidas com banda de música, ruas e casas enfeitadas e um grande cortejo. O Sr. Cel. Antônio dos Anjos cedeu sua casa; o povo emprestou os móveis, o vigário Cônego Vincart doou uma mesinha e seis cadeiras para o refeitório. As Irmãs estavam muito alegres com tudo. O pedido foi para que elas trabalhassem na Santa Casa, mas o provedor não aceitou, alegando ser a Santa Casa muito pobre e não ter condição para acolher as Irmãs.

Então, o vigário pediu que as Irmãs dessem aulas de trabalhos manuais e de língua francesa. Irmã Otávia se encarregou das aulas de trabalhos manuais e Irmã Blandina das aulas de francês. A Irmã Odília que era enfermeira e a Irmã Remígia, voltaram para Bélgica em outubro do mesmo ano, em companhia do Cônego Vincart. O dinheiro que as Irmãs tinham trazido para as despesas iniciais, foi gasto nas passagens de retorno das duas.

 

 

 

 

 

 

 



O bom Deus que “é máximo até nas mínimas coisas” cuidou da sobrevivência de suas duas missionárias que, apesar das dificuldades e incertezas, ainda não sabiam se ficariam ou não no Brasil. Continuavam animadas e contentes, aguardando a decisão da Madre Geral e permaneceram firmemente entregues à vontade de Deus.

Em julho de 1909, chegaram da Bélgica as Irmãs Berchmans e Blanche. Mudaram para uma casa maior, onde puderam ter uma capelinha e missa diária. A Irmã Berchmans comprou um piano usado para a Irmã Blanche dar aulas. Elas tinham ao todo, duas alunas internas e 18 alunas externas. Assim puderam iniciar o Curso Primário. Em abril de 1910, por motivo de saúde, Irmã Otávia voltou para a Bélgica, onde faleceu em 28/10/1928, como uma religiosa exemplar que ofereceu o seu sofrimento pelo bem do Brasil.

Em dezembro de 1911 chegaram a Montes Claros as Irmãs Beatrix (Beata), Rufina e Rodrigues, vindas da Bélgica. As duas primeiras vieram ajudar na Santa Casa e a terceira para atuar na escola.
Em 1913, chegou outra caravana para ajudar nas atividades apostólicas. As Irmãs Fúlvia e Aléxia foram para servir na Santa Casa de Montes Claros e as Irmãs Bertha e Anatole para o trabalho na escola. A pedido do Sr. Bispo Dom Antônio Pimenta, as Irmãs Canuta, Macária, Blanche e Rodrigues mudaram-se para a cidade de Januária-MG, onde fundariam uma escola.

Em julho de 1914, Irmã Berchmans foi para Januária e Irmã Blandina foi nomeada superiora do colégio onde permaneceu até fins de maio de 1918. Não se sabe claramente qual é o motivo dessa saída, talvez pela epidemia (gripe espanhola) que assolou o mundo inteiro após a guerra de 1914-1918 e que enlutou centenas de famílias montesclarenses... As Irmãs da Santa Casa continuaram em Montes Claros sem comunicação com a Casa Mãe, durante o período da Grande Guerra.

A fé profunda, a oração fervorosa e a grande devoção a Maria, sustentaram Irmã Blandina e suas companheiras.

Em dezembro de 1918, as Irmãs fecharam a escola de Januária, o que causou grande pesar ao Sr. Bispo e ao povo januarense que tanto incentivaram e esperaram pelo trabalho frutífero das Irmãs.

Passando pelo Rio de Janeiro, e em visita ao Núncio Apostólico, encontraram com Mons. Fleury, Pároco de Araguari-MG, que lá estava pedindo religiosas para a sua Paróquia. As Irmãs aceitaram o pedido e dirigiram-se para aquela cidade no Triângulo Mineiro, onde hospedaram na Casa Paroquial, transferindo pouco depois para uma casa pequena, nas proximidades.

O sonho continuou... Novas fundações foram surgindo. Vejamos, em ordem cronológica, todas as fundações e experiências de apostolado da Congregação das Irmãs do Sagrado Coração de Maria de Berlaar, em terras brasileiras, desde 1907.

 

Colégio Imaculada Conceição em Montes Claros

 

Santa Casa em Montes Claros.